Biblioteca

Novos Campos em Estudo para a Proteção da Propriedade Industrial: Marcas Não-Tradicionais

por Peter Dirk Siemsen e Sandra Leis

01 de janeiro de 2010

compartilhe

Introdução

Ao longo do tempo, observamos uma evolução da proteção da propriedade industrial.

Nas últimas décadas, várias áreas que antes não estavam amparadas pelos direitos de propriedade industrial passaram a reivindicar proteção, tornando-se objeto de estudos e debates, tanto em âmbito nacional como nos círculos internacionais.

Algumas dessas áreas, tais como marcas não-tradicionais, patentes de software e de métodos de negócios, surgiram nos Estados Unidos da América, enquanto que outras, como o folclore e os conhecimentos tradicionais, incluindo a relação desses conhecimentos com as patentes provenientes de recursos genéticos, resultaram de propostas de países em vias de desenvolvimento, principalmente aqueles detentores de uma rica biodiversidade, como é o caso o Brasil.

Todos esses temas continuam controvertidos, pois as diferenças culturais, jurídicas e econômicas dos diversos países dificultam entendimentos e impedem uma harmonização de critérios e soluções.

Como seria impossível tratar de cada uma dessas novas questões que afloraram no âmbito da propriedade industrial, trataremos, neste artigo, somente das marcas não-tradicionais, matéria bastante interessante, não só por causa das discussões de natureza conceitual e implicações jurídicas que suscita, mas também pelas dificuldades de ordem prática que apresenta aos órgãos responsáveis pelo registro de tais marcas.

Leia o artigo completo em pdf.
 

compartilhe

Peter Dirk Siemsen

Agente da Propriedade Industrial , Advogado

saiba +

Sandra Leis

Advogada, Agente da Propriedade Industrial

saiba +

posts relacionados

busca